O que há de novo no INFLOR Forest – Módulos Inventário e Smart? (09/06/21 – Release Quinzenal)

/, INFLOR Forest, Release, Web/O que há de novo no INFLOR Forest – Módulos Inventário e Smart? (09/06/21 – Release Quinzenal)

O que há de novo no INFLOR Forest – Módulos Inventário e Smart? (09/06/21 – Release Quinzenal)

* Esta Release Notes refere-se ao INFLOR Forest – Módulos Inventário e Smart, cujos nomes, em alguns clientes, são os seguintes:

  • IFL
  • ANALYTICS

O que há de novo no INFLOR Forest – Módulos Inventário e Smart?

Confira as novas atualizações do INFLOR Forest – Módulos Inventário e Smart nesta nova Release.

Corretivas

[IS-25789] – Corrigir o comportamento dos Flags – Disponibiliza Colheita e Utilizado pela Colheita
Cenário Reportado
Os dois flags abaixo precisam se comportar de forma integrada, para que não gere inconsistências na leitura dos dados de inventário pela colheita e nem na disponibilização do inventário para a colheita.
 
Solução Adotada
Quando a flag Utiliza pela Colheita estiver marcada, a flag Disponibiliza será desmarcada e travada.
 

Incidentes

[IS-25381] – Erro ao criar parcelas no GISAGRI WEB
Cenário Reportado
Um erro ocorre na rotina de validação dos apontamentos mobile
 
Solução Adotada
A chamada do webservice responsável pela validação dos dados foi ajustado.
 
[IS-25500] – Identificação de alturas medidas no campo para auditoria
Cenário Reportado
As marcações das arvores medidas para a redes neurais no coletor de dados não condiz com as árvores marcadas como de redes neurais.
 
Solução Adotada
O sistema mobile foi ajustado para que a regra que identifica as árvores de redes neurais seja identica a rotina que marca as árvores de redes neurais para o relatorio de auditoria. 
 

Projetos

1. Melhorias no Sistema de Qualidade.

1.1. Livre Cadastro de Locais

O sistema foi modificado para que o usuário consiga fazer avaliações sem a dependência de selecionar uma operação e talhão no momento da validação. Foi habilitada uma nova tela na qual o usuário poderá configurar os diferentes tipos de local que poderão ser utilizados no processo de qualidade:
 
• Configuração do modelo de qualidade:
Na prescrição o usuário agora tem a opção de filtrar indicar no campo “Tipo Uso Solo” os diferentes locais anteriormente cadastrados.
Não é mais obrigatório indicar a operação no cadastro da prescrição como é feito atualmente, nos casos em que a avaliação é feita em uma operação, a configuração deverá ser realizada da mesma forma que atualmente.
 
• Programação de Qualidade:
Com a inclusão do tipo de local na prescrição a tela de programação também foi modificada para que o usuário possa filtrar por tipo de local, os locais disponíveis para realizar a medição:
Como o tipo de local poderá ser uma entidade que não envolve programação automática, como nos processos de Colheita e Silvicultura e poderá ser desvinculada dos cadastros do SGF, o usuário deverá gerar pelo menos uma programação manual para esse tipo de local que irá ser utilizada no aplicativo de qualidade.
Com o cadastro de local mais abrangente o usuário agora pode realizar mais de uma medição para um mesmo local, não existindo nesses casos regra de duplicidade.
Com essas alterações, teremos três cenários possíveis de avaliações de modelos de qualidade:
 
 
1. Programação por talhão:
a. Formato atual do sistema, onde um talhão está associado a uma operação de qualquer módulo.
2. Programação por local:
a. Novo formato, onde o usuário poderá escolher qual o local terá uma avaliação de qualidade (conforme local escolhido na prescrição do modelo de qualidade, descrito acima).
3. Programação por local com indicação de talhão:
a. Novo formato, onde o usuário poderá escolher qual o local terá uma avaliação de qualidade e ainda deverá informar o talhão. Nesse caso, variáveis do tipo lista deverão ser criadas para o modelo de qualidade a partir das tabelas e região, projeto e talhão.
 
 
• Alterações no aplicativo:
No aplicativo de qualidade, a tela de “Baixar Operações” agora exige também OSs criadas direto na programação de medição sem o vínculo da operação programada.
Na geração da medição o layout também foi modificado.
Ao selecionar um modelo de qualidade cujo a configuração é por outro tipo de local diferente de talhão, a tela não exibirá a opção de operação programada, região, projeto e talhão.
Caso a avaliação seja feita por fornecedor, para cada fornecedor que será avaliado, será necessário que se tenha pelo menos uma ordem de serviço criada.
A partir desse passo o usuário utilizará os formulários de qualidade da mesma forma que é utilizado nos processos atuais.
Os processos atuais não serão modificados com essa melhoria.
Não serão revisadas configurações dos processos atuais.
Toda variável cadastrada como tipo lista, aparecerá no mobile no mesmo formato das listas já existentes.
  

1.2. Programação de Locais.

O sistema possui uma tela de programação o que permite associar uma medição gerada à programação e esta é enviada para o mobile, porém existem locais que podem haver necessidade de constantes avaliação o que necessitaria a todo instante ficar gerando medições para o mesmo local, além disso o sistema permitiria apenas uma única coleta. Para solucionar essa limitação o sistema foi alterado para criar uma associação entre o local e a programação.
Uma vez criado uma programação o usuário agora pode associar um local a essa programação. A programação teria uma data inicial e uma data final. Enquanto estiver dentro do período estabelecido toda vez que baixasse a Programação de qualidade (não estamos falando de OS operacionais) é enviado o local associado a essa programação e todos os modelos de qualidade desse processo, pois o sistema não há como saber qual modelo de qualidade que será avaliado.
 

1.3. Automatização da geração de programação de qualidade (sobrevivência).

Através da tabela de prescrição o usuário agora pode habilitar a geração de programação de atividades de qualidade. No caso de sobrevivência é necessário programar a avaliação com 35 dias após o plantio.
O sistema irá percorrer o cadastro florestal buscando por talhões que completam os 35 dias de plantio para o plano corrente e irá gerar programação de medição de qualidade de sobrevivência.
Essa medição deverá ser associada a uma programação de qualidade e não a uma ordem de serviço operacional. Uma vez dentro da programação deverá ser enviado para o mobile o qual já deverá apresentar para o usuário a medição. Não havendo assim a necessidade de criar (via mobile) apenas selecionar para iniciar a coleta.
 

1.4. Configuração de duplicidade.

Imaginemos um cenário onde temos um único local para viveiro, e há necessidade de se fazer várias coletas de um mesmo modelo de qualidade. Anteriormente o sistema consideraria uma duplicidade pois podemos fazer apenas uma coleta para o mesmo dia para o mesmo modelo de qualidade. Agora existe uma configuração no cadastro de prescrição para o usuário indicar se pode haver a duplicidade ou não.
Também foi alterado o coletor para que essa informação seja tratada podendo assim cadastrar duas avaliações para o mesmo local. E na entrada dos dados o sistema entender que não se trata de uma duplicidade.
 

1.5. Captura de coordenada a nível de indivíduo

Anteriormente o módulo de qualidade possui 3 níveis, local, amostra e indivíduo. O sistema armazena apenas coordenada no nível amostra. Foi feita uma alteração para que enquanto estiver havendo a captura dos dados de individuo o sistema fique monitorando os dados de GPS e armazenando as mesmas junto com cada indivíduo. Isso será feito para variáveis de nível Local, caso exista apenas uma coleta de dados para o nível 3 (local) o sistema possa identificar onde a informação foi coletada.
Foi criado um cubo para apresentação desses dados além disso é plotado no mapa do Analytics simbolizando o resultado da coleta.
 

1.6. Registro de não conformidade.

O sistema agora possui um mecanismo de envio de e-mail de não conformidades. O e-mail é enviado por uma determinada regra parametrizável já existente, possa ser por meio de uma variável quantitativa ou qualitativa que determina uma não conformidade, ou um valor que resulta numa não conformidade.
Quando enviado o e-mail o sistema preenche um template de e-mail onde pode haver informações como o talhão, fornecedor, imagens, resultado da variável etc.
 

1.7. Inclusão do Nível 1.

Nesta release foi adicionar uma funcionalidade que permite baixar uma OS no mobile permite visualizar apenas a OS da empresa no qual ela pertence isso caso o usuário não seja funcionário da empresa. Caso seja funcionário, não poderá ter acesso as avaliações do N2 (realizadas pela área de Qualidade da Veracel). Esse mesmo filtro deverá ser também implementado na tela de importação de dados e na tela de processamento. Na tela de importação o usuário caso seja nível 1 poderá visualizar apenas processo de importação da empresa a qual a ele pertence e na tela de processamento só poderá visualizar dados da empresa dele. Os demais usuários poderão ter livre consulta assim como é hoje.
Além disso o usuário de nível 1 agora tem um acesso mais restrito como estorno de dados para que nenhuma informação seja apagada.
 

1.8. Otimização, importação, validação, e transferência.

O processo de envio dos dados do mobile para o SGF possui três etapas. Importação, Validação e Transferência. Assim como existe hoje na silvicultura existe um job que fica monitorando a chegada de novos dados no hub. Foi criado uma funcionalidade semelhante ao da silvicultura que ficara monitorando o hub verificando pela chegada de novas medições. Uma vez identificado ele irá fazer os 3 processos de forma automática.
 

1.9. Permitir realizar cálculos estatísticos no campo.

Até esta release, o sistema não apresentava no mobile nenhum resultado estatístico. A partir desta release, se for selecionada a função de cálculos estatísticos no mobile, o sistema apresentará o resultado durante a coleta. Nenhum dado calculado será exportado ou salvo. Apenas disponível para apresentação.
 

1.10. Criação de novos cubos.

Foram adicionados novos cubos, contemplando os três cenários de medições:
 
1. Programação por talhão:
a. Formato atual do sistema, onde um talhão está associado a uma operação de qualquer módulo.
2. Programação por local:
a. Novo formato, onde o usuário poderá escolher qual o local terá uma avaliação de qualidade.
3. Programação por local com indicação de talhão:
a. Novo formato, onde o usuário poderá escolher qual o local terá uma avaliação de qualidade e ainda deverá informar o talhão.
 
Até então, os cubos “Qualidade Resultados” e “Qualidade detalhado” permite ao usuário verificar as informações das medições realizadas, porém, eles necessariamente mostram os dados de região, projeto e talhões, além de outras informações como processo e regime.
Para resolver isso, foram criados dois cubos, que passarão a ter as informações de avaliações de operações de talhões e as avaliações de locais, com ou sem talhão indicado.
 
Qualidade Resultado:
Quando o modelo de qualidade for programado a partir de uma OS, os dados serão exibidos conforme relatório atual.
Porém, quando as informações de região, projeto e talhão forem variáveis medidas, campos como “Manejo”, “Área”, “Mat Gen”, “Ciclo” e “Rotação”, não serão preenchidos, pois, os talhões não serão parte da programação e sim informados em campo. Além, disso, caso o usuário em campo não informe esses valores, os campos poderão ser vazios.
 
Qualidade Resultado:
Quando o modelo de qualidade for programado a partir de uma OS, os dados serão exibidos conforme relatório atual.
Porém, quando as informações de região, projeto e talhão forem variáveis medidas, caso o usuário em campo não informe esses valores, os campos poderão ser vazios.
 
 

2. Revisão e aprimoramento do Sistema de Inventário.

2.1. Melhorias na interface e experiência de uso

A partir desta release, nas telas do sistema de inventário, contamos com a opção de filtrar mais de uma região e/ou projeto em um único filtro nas telas de processamento, programação e projeção, filtrar pela chave (pk) do SGF (anteriormente só havia a opção de se filtrar pela chave de inventario), e também podemos fazer downloads das imagens das parcelas de inventario.
 

2.2. Melhorias no Analytics.

Nesta release incluímos no Analytics os campos de Responsável pela Programação e ordem de serviço na tela de importação.
 
 

3. Melhorias no Mobile de Inventário.

3.1. Tratamento de Importação de Inventário para talhões ativos e histórico

Foi criado nesta release, uma parametrização no processo de importação, onde o usuário deverá informar se está importando dados para o talhão ativo ou histórico. Isso fará com que o usuário deva informar o ciclo e rotação do talhão, caso tenha selecionado a opção histórico.
Essa opção não levará em consideração se o talhão está ativo ou histórico, uma vez que apenas existe na base um único talhão com a chave Região, Projeto, Talhão, Ciclo e Rotação.
 

3.2. Interfaces parcelas GIS x Inventário

Até esta release, a rotina de interface de parcelas entre o sistema de inventário e GIS, aplicava a validação da posição da parcela através de sobreposição. Porém essa validação ocorria apenas com talhões ativos no cadastro. A rotina foi alterada para que a parcela seja criada sem a validação de sobreposição, ou seja, será criada com as coordenadas X Y passada na importação de dados.
A nova rotina que valida as coordenadas da parcela faz a validação de sobreposição das parcelas através de talhões ativos do cadastro. Como poderá ocorrer de existir talhões históricos essa validação de sobreposição não mais irá ocorrer quando for identificado que trata-se de talhões históricos.

 

2021-06-16T13:33:40-03:00

Deixar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.